Quinto revela que 79% se consideram motoristas prudentes e maioria quer trânsito regulado

O Brasil possui mais de 107 milhões de veículos, de acordo com dados do Ministério da Infraestrutura de 2020. Anualmente ocorrem mais de 60 mil acidentes em rodovias brasileiras, com 5 mil mortes, segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Para disciplinar tantos veículos e motoristas, evitando assim a ocorrência de acidentes, o país possui uma série de normas regidas por legislações como o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Enquanto alguns acreditam que o país possui normas demais, a maioria parece concordar com leis mais severas e restritivas no trânsito. Idade para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), punições e intolerância ao álcool são alguns dos temas que apontam para esse posicionamento da sociedade. Confira os resultados que mostramos abaixo.

Prudência no trânsito

Ao menos na internet, os motoristas e passageiros demonstram consciência dos riscos no trânsito. Isso porque 79% se consideram motoristas prudentes. Além disso, 74% negam que usam o cinto de segurança mais por medo de multa do que pela segurança. No entanto, 55% admitem que não fazem manutenção periódica no carro – uma atitude importante para garantir que o veículo não apresente defeitos inesperados, que podem causar acidentes.

 

Álcool e direção

Pessoa tenta impedir outra com cerveja na mão de pegar chave de carro

Maioria afirma que não deixaria um amigo embriagado assumir o volante.

Quando o assunto é misturar álcool e direção, os usuários do app declaram tolerância zero. Quando perguntados: “Você é a favor do rigor da Lei Seca?”, 89% responderam que sim. A partir desta lei, que foi um marco na legislação do Brasil, nenhuma quantidade de álcool é tolerada aos condutores. Para os usuários do Quinto, a lei poderia ser ainda mais severa. Isso porque 97% concordam com o aumento da pena para motorista bêbado que causa acidente com morte.

E o pessoal também demonstra uma postura consciente na hora do lazer com os amigos. Entre nossos usuários, 93% afirmam que impedem ou impediriam um amigo que tivesse bebido de dirigir. Uma ótima atitude!

Distrações ao volante

A atenção ao trânsito é essencial para aqueles que dirigem, mas muitos fatores podem distrair o condutor. Além do já onipresente celular, há outras questões que podem tirar o foco. Por exemplo, 79% acreditam que transportar pet solto no carro atrapalha o motorista. Da mesma forma, 53% acreditam que carros com interação digital podem aumentar o risco de acidentes. Além disso, 81% admitem que se arriscariam para não atropelar um animal.

Habilitados ao trânsito

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é o documento oficial para os condutores de veículos no Brasil. Levantamentos têm apontado, porém, que o número de interessados em tirar a habilitação pela primeira vez vem caindo ano a ano e que a idade média do condutor brasileiro tem aumentado. Por exemplo, a proporção de motoristas com mais de 61 anos, na última década, passou de 11% para 17% do total de condutores. Enquanto a parcela de motoristas com menos de 30 anos reduziu de 29% para 21%. Os dados são do Ministério da Infraestrutura.

No Brasil, a idade mínima para se obter a CNH é 18 anos. Enquanto em países como os Estados Unidos é apenas 16. Assim, há quem defenda que a legislação brasileira poderia se espelhar na americana. Entre os usuários do Quinto, no entanto, 53% são contra a redução de idade para dirigir. Um dos argumentos contrários é a falta de maturidade da juventude.

Quando o assunto é imprudência, no entanto, há adultos que conseguem superar qualquer adolescente. Desta forma, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece um número de penalidades que o motorista pode levar antes de ter a habilitação suspensa. Contudo, um projeto de lei foi aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, aumentando de 20 para 40 o limite de pontuação para suspensão da CNH. A alteração entra em vigor em março de 2021. Para os usuários do Quinto, no entanto, a mudança não é benéfica. Isso porque 53% disseram que não são a favor do aumento de pontos na carteira de habilitação.

Regulamentado, mas nem tanto…

Apesar do favorecimento à medidas mais restritivas, em alguns pontos os usuários do app desejam menos regulamentação. Por exemplo, 53% são contrários ao pagamento do seguro obrigatório – o DPVAT. Além disso, 64% não concordam que carros muito velhos sejam proibidos de rodar. E 55% são contra a obrigatoriedade de instalação de bafômetros nos carros.

Conduzindo o futuro

O debate de temas relevantes para a sociedade contribuiu para a construção da opinião coletiva. E é por meio da voz da sociedade que podemos conduzir o futuro, operando mudanças. Quer fazer parte dessa revolução? Baixe o Quinto, vote, comente e compartilhe.

Leia mais Prostituição: maioria dos brasileiros é a favor da prática e de sua regulamentação

Vote no Quinto