Mais de 80% fazem compras online, mas 70% não acreditam que descontos da Black Friday são reais

A Black Friday ganha cada vez mais popularidade no Brasil, atraindo consumidores e movimentando o comércio. Em plena pandemia de coronavírus, a aposta é que a população se volte às compras online. Isso porque, além de alguns ainda estarem em distanciamento social, muitos assimilaram de forma permanente o hábito de compras digitais. Desta forma, a expectativa é de que o comércio eletrônico fature R$ 3,45 bilhões com a data, o que representa um crescimento de 18% em relação ao ano passado. Os dados são da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Apesar da empolgação do comércio, a promessa de descontos polpudos ainda não convenceu os consumidores. No Brasil, a data acabou por ganhar a desconfiança da população diante de relatos de que os comerciantes oferecem descontos ilusórios. Isso ocorreria com o aumento dos preços dias antes da Black Friday e posterior “desconto na data”. Ou seja, chegando ao valor habitual do produto. Outra forma seria informar que o produto custava mais, quando isso nunca ocorreu. Diante dessa má fama, 70% dos usuários do Quinto não acreditam que os descontos da Black Friday são reais.

Quer entender um pouco mais da relação do consumidor brasileiro com a data, as compras online e os gastos de fim de ano? Então confira as respostas de nossos usuários sobre essas questões. E, de bônus, algumas dicas para não cair em uma furada na hora das compras.

Mas o que é Black Friday?

Mulher segura tablet e várias sacolas de compra

Data se tornou uma das mais importantes do comércio nos EUA e em várias partes do mundo.

A Black Friday surgiu nos Estados Unidos como uma forma de “limpar” os estoques antes do início das vendas de Natal. Ela ocorre no Dia de Ação de Graças dos EUA, que é celebrado no dia seguinte à quarta quinta-feira do mês de novembro. Assim, em 2020 ela acontece em 27 de novembro.

Os brasileiros na Black Friday

Como mencionamos, a Black Friday ainda não ganhou totalmente a confiança dos consumidores, apesar de estar no Brasil desde 2010. Além disso, a data ainda não parece ser um evento decisivo para as compras da maioria, uma vez que 70% afirmam que não esperam a Black Friday para comprar algum produto.

Interessante apontar que relatos de insatisfação com as aquisições na data não são comuns. Afinal, apenas 14% dizem que já tiveram problemas com compras feitas na Black Friday.

E-commerce

As compras online já fazem parte dos hábitos de consumo dos brasileiros. Ao passo que,  no Quinto, 84% responderam que fazem compras pela internet . Além disso, 73% utilizam o celular para as compras. Mais especificamente, 58% fazem compras até mesmo por aplicativos de mensagem como o Whatsapp.

Compras de Natal

Pessoa com suéter de tema natalino digita em notebook e segura cartão de crédito

Alguns consumidores não esquecem nem mesmo dos pets na hora das compras natalinas.

Muitos acabam utilizando a Black Friday para antecipar as compras natalinas. Entre os usuários do Quinto, 51% afirmam que antecipam compras de Natal para evitar a correria do fim de ano. E é possível encontrar algumas pistas sobre como as pessoas pretendem gastar nessa época.

Por exemplo, 55% fazem questão de dar presentes para quem gostam no Natal, 24% presenteiam os pets nessa época e 58% decoram a casa para a data.

Hábitos de compra

O comportamento na hora das compras revela o perfil de cada consumidor. No Quinto, os compradores parecem mais moderados.

Isso porque 52% dizem que não compram por impulso e 57% não gastam mais do que ganham. Além disso, 70% relatam preferir pagar à vista do que parcelar e 70% verificam se há juros nas compras parceladas no cartão. Consumidores conscientes!

Compras sem dor de cabeça

Para aproveitar a Black Friday sem cair em armadilhas, o Procon-SP tem algumas dicas preciosas:

– Em questão de segurança, o órgão de defesa do consumidor alerta que é preciso pesquisar as ofertas entrando nos sites das lojas e não apenas clicando em links recebidos por e-mail, que podem direcionar para sites falsos. É preciso tomar cuidado também com a credibilidade da loja virtual. O órgão mantém uma lista dos sites de e-commerce que devem ser evitados;

– Para evitar ofertas e descontos falsos ou ilusórios, o consumidor deve acompanhar os preços dos produtos com antecedência. Outra dica é verificar se ao incluir o produto no “carrinho” há alteração no valor da compra e se o frete não está com um valor abusivo que não compensaria o desconto;

– Para não gastar sem necessidade, a dica é fazer uma lista dos itens que você precisa e estipular um valor máximo que pode gastar. Ficar “passeando” pelas ofertas, sem um objetivo definido é um prato cheio para o gasto impulsivo;

– Atenção aos prazos e condições! Se o presente for para o Natal, por exemplo, é importante verificar o prazo de entrega para o produto não chegar após a data festiva. Consultar as condições de trocas e outras regras de cada loja também é essencial para não ter dor de cabeça.

Mais no Quinto

Essas e outras perguntas sobre consumo, finanças e hábitos do consumidor você encontra no Quinto. A rede social de opinião e debate não para de crescer, reunindo milhares de usuários, votos, perguntas e comentários. Participe!

Leia mais Prazer: confira 5 interesses sexuais do brasileiro que você não imaginava

Vote no Quinto

Mão segura celular que exibe carrinho de compras e a frase Black Friday na tela