Usuários do Quinto demonstraram descontentamento com a exploração da Amazônia e políticas ambientais

Com 5.500.000 km² de extensão, sendo 60% em território brasileiro, lar de uma biodiversidade única, a Amazônia é motivo de orgulho para os brasileiros, mas também de preocupação. Parte da identidade nacional, a floresta vive em constante ameaça e, recentemente, ganhou o noticiário mundial devido ao desmatamento e queimadas.

As questões que envolvem as políticas ambientais da floresta são temas abordados frequentemente pelo Quinto, que por meio dos debates e votos reflete as opiniões da sociedade sobre a Amazônia. Separamos alguns resultados que evidenciam as preocupações dos brasileiros quanto à questão ambiental e o futuro amazônico. Confira:

Amazônia em crise

 

Imagem aérea mostra divisão entre floresta e área desmatada com focos de queimada

As queimadas na floresta continuam em crescimento, sendo que dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) revelaram um aumento de 28% em julho, na comparação com o mesmo período de 2019, totalizando 6.803 focos de incêndio.

O problema foi tema do projeto Cortina de Fumaça, desenvolvido por jornalistas, cientistas e professores, que fez um cruzamento de dados e entrevistas, resultando em um panorama da Amazônia. O projeto destaca que o desmatamento também está em crescimento, uma vez que mais de 9 mil km² foram desmatados entre agosto de 2019 e julho de 2020, alta de 34% em relação ao período anterior.

Esses problemas fazem com que parte da população chegue a pensar, inclusive, que a floresta está fadada a ser completamente dizimada. Entre os usuários do Quinto, 50% acreditam que a Amazônia irá acabar. Outra preocupação é a de que o país possa perder a soberania sobre o território, seja devido a interesses internacionais ou negligência. Para 60% dos usuários do Quinto, o Brasil pode sim perder a Amazônia.

Riqueza amazônica

A contraposição entre preservação ambiental e desenvolvimento econômico é um dos pontos mais acalorados nos debates sobre a Amazônia. Há quem defenda explorar economicamente o território, enquanto outros veem em sua preservação a verdadeira riqueza.

Entre os usuários do Quinto, 74% são contra a exploração da Amazônia. Analisando as quatro áreas mais atingidas pelas queimadas, em 2019, o projeto Cortina de Fumaça apontou que 72% dos focos de calor nas localidades fundiárias analisadas aconteceu em imóveis rurais médios ou grandes. O resultado sugere uma relação entre os grandes produtores rurais e a degradação ambiental.

Quem protege a Amazônia?

Apesar de pressões internacionais, o governo do presidente Jair Bolsonaro – por meio do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles – tem demonstrado interesse no que chama de “simplificar” a legislação ambiental do país. A avaliação governamental é de que há muita burocracia e multas desnecessárias. Entre os usuários do Quinto, no entanto, essa opinião não parece ser prevalente. Quando questionados, “você acha que a legislação ambiental brasileira é muito rígida?”, 82% disseram que não.

Em recente discurso na Organização Mundial das Nações Unidas (ONU), o presidente brasileiro defendeu a atuação do país na preservação do Meio Ambiente. No app, porém, 70% dos usuários afirmaram que não concordam com a política ambiental do governo Bolsonaro. Além disso, 82% avaliam que ameaças a fiscais do Ibama e do ICMBio comprometem a preservação ambiental, demonstrando preocupação com a fiscalização de nossas florestas.

Quais as ameaças contra a Amazônia?

Foto mostra árvores em chamas em incêndio florestal

O projeto Cortina de Fumaça mapeou algumas das principais ameaças à floresta, uma vez que por ser úmida não deveria ser tão suscetível às queimadas. De acordo com o estudo, as chamas na Amazônia podem ser classificadas em fogo de subsistência (normalmente controlado e realizado por pequenos produtores e comunidades indígenas), o fogo de manejo agropecuário (realizado pelos produtores rurais) e o de desmatamento (feito com o objetivo de desmatar). Todas essas chamas podem acabar provocando incêndios florestais.

Para ambientalistas, algumas formas de combater o problema são: o apoio ao trabalho de fiscalização, cumprimento da legislação ambiental e orientação aos pequenos produtores sobre formas de produção que garantam a preservação ambiental.

Debater para proteger

Conhecer a opinião da sociedade sobre temas importantes pode contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas que priorizem as questões que realmente preocupam a população. O Quinto é um espaço único para voto, debate e compartilhamento de ideias. Ainda não tem o app? Baixe e faça parte desse movimento.

Leia maisCrenças que nos movem: superstições estão em baixa, mas fé em Deus segue predominante

Vote no Quinto

vista aérea mostra o Rio Amazonas