84% acreditam que opiniões de influencers sobre produtos não são verdadeiras, mas 95% acham que eles influenciam no padrão estético

Você tem consciência de quando está sendo influenciado? Desejar algum produto, serviço ou bem após vê-lo sendo utilizado por outra pessoa não é novidade, mas as redes sociais amplificaram esse fenômeno. Em algum nível todos os usuários das redes sociais acabam influenciando uns aos outros, mas aqueles que possuem um grande número de seguidores têm obviamente um alcance maior e acabam fazendo desse “poder” uma fonte de renda. Ser um “influencer” ou “influenciador” tornou-se uma profissão rentável e o uso dos serviços desses profissionais é uma das principais estratégias de marketing das empresas. De acordo com o Business Insider, o mercado de marketing de influencers deve atingir a cifra de 15 bilhões de dólares até 2022.

Com tanto investimento, os influencers parecem a bola da vez. Porém, será que uma legião de seguidores significa credibilidade? E essa influência é benéfica? Ela se restringe apenas a produtos ou ao que o próprio influencer é e seus valores? Pois é, o tema é bem mais complexo do que isso. No Quinto abordamos com nossos usuários questões que mostram a real opinião das pessoas sobre os influencers.

Credibilidade de influencer

tela de celular exibe vídeo de mulher mostrando tutorial de maquiagem

 

A “plateia” de alguns influencers pode ser grande, mas um seguidor na internet não é necessariamente um  consumidor conquistado. Entre os usuários do Quinto, 84% acreditam que as opiniões de famosos e influenciadores sobre produtos não são verdadeiras. Alguns dos fatores que podem contribuir para essa descrença são ações de marketing mal calculadas.

Influencers divulgando produtos que não combinam com seus estilos de vida, por exemplo, podem transparecer que eles não utilizam de fato o produto em seu dia a dia. E se ações mal calculadas podem prejudicar as marcas (trazendo poucos resultados ou causando má impressão), elas também podem arranhar a imagem do próprio influenciador, que sai com fama de falso.

Mercado infantil

As restrições à propaganda infantil nos veículos tradicionais de mídia aliadas ao uso cada vez maior de internet e redes sociais por parte das crianças, tornaram os influencers mirins um mercado atrativo. Com isso, os perfis de pequenos influenciadores se multiplicam em diversas redes sociais. A participação das crianças nesse tipo de conteúdo é encarada por alguns com naturalidade – provenientes de um talento criativo de quem foi criado na era digital. Enquanto outros julgam que os pequenos são explorados pela família uma vez que ainda não têm a compreensão das consequências de toda essa exposição nas redes sociais.

Para 78% dos nossos usuários, os influenciadores (as) mirins são explorados (as) pelos pais. O resultado demonstra que a sociedade tem uma visão crítica da presença infantil como influenciadores e serve de alerta para marcas que associam seus produtos a essas personalidades mirins.

Corpo de influencer

Um maioria esmagadora de 95% dos usuários do Quinto acreditam que os famosos das redes sociais influenciam padrões estéticos. Os modelos idealizados de beleza já eram sugestionados pelas mídias, nas páginas de revistas e propagandas de TV, muito antes do advento da internet. Porém, como tudo na web, esse fenômeno foi ao mesmo tempo popularizado e nichado. Há todo um mercado de influencers fitness, outro das super magras, mas também dos que promovem a aceitação corporal.

Assim, dependendo da “bolha” virtual em que cada usuário se encontra será influenciado de forma diferente. Alguns recursos como a edição de fotos, ângulos, procedimentos estéticos e dietas radicais secretas podem fazer com que alguns usuários creiam que certos padrões são naturais ou facilmente alcançados, afetando negativamente sua autoestima e até a sua saúde. Um exercício interessante para quem se sente afetado por não se encaixar em determinados padrões é escolher com cuidado aqueles que segue – afinal a web tem gente de todos os corpos, cores e tamanhos – é só dar audiência para quem te faz bem.

Influenciador também é gente

Homem e mulher em frente a câmeras chorando

Os melhores ângulos, os momentos mais felizes, as grandes conquistas… as redes sociais acabam sendo uma documentação do que cada um tem de melhor e podem passar uma falsa impressão de “vida perfeita”. Alguns influencers, no entanto, quebram essa ilusão compartilhando questões sérias, como problemas emocionais, financeiros, relacionamentos abusivos, questões sociais e de saúde.

Essa abertura pode desagradar aqueles que buscam nas redes uma forma de escapismo, ou que acham inapropriado compartilhar assuntos privados na web. Contudo, uma parcela dos internautas sentem identificação com os problemas e se conectam com mais profundidade com influencers que parecem mais reais. Sendo que para 81% dos usuários do Quinto, ao exporem suas fragilidades, influenciadores ajudam seus seguidores. Um sinal de que a influência pode ir muito além de questões materiais e estéticas, provocando uma conexão entre pessoas e seus valores.

Opinião que influencia

Quer fazer parte de debates que contribuem para a formação da opinião coletiva? Participe do Quinto, o aplicativo ideal para quem quer opinar, debater e, porque não, influenciar.

Leia mais – Eleições 2020: Quinto traz cinco pontos para repensar as cidades de acordo com a opinião coletiva

Vote no Quinto