Cotidiano na quarentena não é mais o mesmo e mais da metade dos usuários do Quinto admite que a saúde mental está sendo afetada pelas notícias 

O primeiro caso de Covid-19 no Brasil foi confirmado no dia 26 de fevereiro de 2020, um marco que mudou o cotidiano dos brasileiros. Expressões como quarentena, lockdown, home office e isolamento passaram a fazer parte do vocabulário das pessoas, que aprenderam ainda a lavar as mãos de forma diferente, usar álcool em gel com frequência e a adotar o uso de máscaras.

Já são mais de quatro meses de distanciamento social para milhões de pessoas, que tiveram de se adaptar a diversas mudanças no dia a dia. O estresse e a ansiedade causados pela preocupação com a pandemia, as mudanças na rotina, o temor da crise econômica, trabalhar ou estudar em casa e o medo de contrair o vírus são apenas alguns dos desafios que as pessoas passaram a enfrentar nesse período. No Quinto fizemos várias perguntas para saber como nossos usuários estão encarando a quarentena. Confira abaixo:

Relacionamentos em crise

A pandemia trouxe desafios inéditos para os relacionamentos entre os seres humanos, tanto nas relações interpessoais quanto na coletividade. Passar muito tempo junto dos familiares ou parceiros, dentro de casa, e em um período estressante como esse pode ter um efeito negativo nas relações. Tanto que 78% dos nossos usuários concordam que confinamentos e quarentenas colocam relacionamentos à prova.

O combate à crise do coronavírus está relacionado à capacidade de uma determinada comunidade de cumprir os protocolos de segurança, mas fazer com que todos concordem em seguir as regras representa um desafio e tanto. Entre nossos usuários, 52% disseram que se desentenderam com pessoas que não levam a sério a pandemia. E para a maioria dos usuários do Quinto, quem descumpre as medidas de segurança deveria ser punido. Ao serem questionadas, “você concorda com a punição de pessoas que descumprem a quarentena?”, 74% responderam afirmativamente. Além disso, 93% concordam com o uso obrigatório de máscaras em público para conter a pandemia.

Amor nos tempos do coronavírus

Quando o assunto é a paixão, os usuários do Quinto parecem menos dispostos a fazer concessões, sendo que 60% disseram que não estão fazendo ou fariam abstinência sexual por conta do coronavírus. Aliás, 50% admitiu que furou / furaria a quarentena para fazer sexo. As autoridades de saúde, é claro, condenam a prática que coloca em risco não só os “pombinhos”, mas também todos aqueles com quem eles tiverem contato.

 

Quarentena produtiva?

Mulher fazendo exercícios em frente a TV

Muito tem se falado sobre a “pressão” existente para se manter produtivo durante a quarentena, especialmente por parte de influencers digitais e coachs que vendem cursos e exercícios online. Entretanto, nossos usuários mostraram que estão levando a quarentena de forma mais tranquila. Por exemplo, 54% disseram que não iniciaram algum curso online na quarentena e 63% não estão fazendo exercícios físicos.

Os especialistas têm alertado que, de fato, manter a produtividade durante esse período não é uma tarefa fácil e nem deve ser necessariamente uma obrigação, pois muitos estão passando por problemas emocionais com a avalanche de informações recebidas. Entre nossos usuários, 59% disseram que acompanhar as notícias sobre coronavírus está afetando negativamente sua saúde mental.

Coronavírus muda o cotidiano

Outras mudanças parecem menores, mas já afetam nosso dia a dia. Por exemplo, 60% dos usuários do Quinto afirmam que a velocidade de sua internet mudou após o início da quarentena de coronavírus e 65% dizem que a conta de energia subiu. Os dois aspectos são reflexos do crescimento na demanda residencial. No caso da internet, o uso de serviços de streaming, aulas online e a transferência de diversos serviços para o mundo digital seriam os culpados. Já a energia, que antes era usada nas escolas e locais de trabalho, agora vai para a conta do home office e aulas em casa.

Outro aspecto afetado pela pandemia é a frequência com que as pessoas saem de casa até mesmo para questões essenciais. Entre os usuários do app, por exemplo, 67% disseram que têm evitado procurar atendimento médico por medo de contrair o coronavírus. De acordo com as autoridades de saúde, aqueles que buscam atendimentos que podem ser adiados ou realizados por teleatendimentos (modalidade liberada pelo Conselho Federal de Medicina para o período) devem evitar procurar as unidades de saúde, já os casos de emergência não devem ser negligenciados.

 

Uma pata amiga

 

Mulher sentada no chão acaricia cachorro deitado

Encarar os momentos difíceis ao lado de um amigo é bem mais fácil, não é? Mesmo que a ajudinha venha de uma “mão amiga” peluda. Por isso, os pets têm desempenhado um papel especial na quarentena, sendo que 94% dos usuários do Quinto acreditam que passar a quarentena com um pet torna o isolamento mais fácil. Apesar do maior tempo com os bichinhos, parece que os usuários do app não estão usando os pets como desculpa para sair de casa, já que 73% dizem que não têm mantido os hábitos de passeio com seu pet durante a pandemia de coronavírus.

E, se depender dos nossos usuários, uma das consequências da pandemia será que mais bichinhos ganharão um lar, já que 74% dizem que adotariam / comprariam um pet pra fazer companhia na quarentena de coronavírus.

 

Já pode voltar?

Com o prolongamento da pandemia, vários setores da sociedade e atividades começam a ensaiar a volta antes mesmo do fim da crise do coronavírus. Entre os nossos usuários, porém, essa movimentação não é bem aceita. Por exemplo, 66% disseram que não concordam com a reabertura do comércio não essencial antes do fim da pandemia. Outras atividades que também não deveriam voltar ainda, de acordo com nossos usuários, são: a volta às aulas para as crianças (visão defendida por 82%), o futebol brasileiro (79%), as lutas do UFC (76%) e as manifestações de rua (65%).

 

#ficaemcasa

Apesar das dificuldades da quarentena, os usuários do Quinto demonstraram compreender a importância da medida: 88% disseram que estão fazendo isolamento social por causa do coronavírus e 70% são a favor da adoção do isolamento total para conter a doença no Brasil.

 

Dissemine informação

Entediado durante a quarentena? Precisando de um respiro entre o home office e as aulas em casa? Com saudade de saber o que a galera está pensando sobre os principais assuntos do momento? Acesse o Quinto! As perguntas desse post e muitas outras estão em nosso app, que busca a construção da opinião coletiva em temas relevantes, divertidos e transformadores. Se você ainda não tem o app, faça o download e comece a opinar!

Leia mais – Por dentro do Quinto: Descubra o “Índice de Afinidade” com seus amigos

Vote no Quinto

Mulher em frente ao computador em reunião virtual com outras pessoas