Organizar a vida financeira pode ser um desafio em meio a tantas tentações e armadilhas, mas os usuários do app mostraram que não estão dispostos a gastar dinheiro à toa.

O equilíbrio financeiro é uma tarefa complexa, especialmente para quem não tem muita grana, mas até milionários podem ter dificuldade para fechar as contas. Afinal, manter as despesas dentro do orçamento requer disciplina e planejamento. E cada pessoa tem seu perfil de gastos: há os mãos-de-vaca, os dependentes do cheque-especial, os que vivem no limite, os prudentes, etc. Para entender um pouco como os usuários do Quinto utilizam seu dinheiro, várias perguntas do app abordam as finanças pessoais e o que é preciso para fazê-los quebrar o cofrinho. Confira!

 

Administrar as finanças

Caderno aberto com um desenho de um cofre de porco e um planejamento financeiro, ao lado uma xícara de café

 

Uma das regras mais básicas para manter o orçamento em dia é: gastar menos do que ganha. Afinal de contas, quantas pessoas, até mesmo milionárias, perdem tudo por não saber administrar os gastos? Essa parece ser uma lição bem assimilada pelos usuários do Quinto, já que 64% afirmam que não gastam mais do que ganham. Outro sinal da prudência financeira é que 60% dizem que têm o costume de guardar dinheiro.

E qual a importância de poupar? De acordo com especialistas, o dinheiro guardado pode nos ajudar a realizar sonhos (como viagens, cursos e a aquisição de bens), mas principalmente nos salvar em momentos de emergência. Problemas de saúde, desemprego, entre outros, podem nos pegar desprevenidos e provocar o endividamento rapidamente. Acontecimentos como a pandemia de coronavírus são exemplo de situações inesperadas que podem abalar a vida financeira.

Além da turbulência econômica que o Brasil já passava, a pandemia também pressionou o orçamento das famílias brasileiras. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 66,6% das famílias brasileiras possuíam dívidas (em atraso ou não) em abril de 2020. O número é um recorde desde que o índice começou a ser apurado em janeiro de 2010.

Outras questões que também estão fora do nosso controle podem mudar um planejamento financeiro de anos. A Reforma da Previdência, por exemplo, alterou os planos de muitas pessoas quanto à aposentadoria. No entanto, os usuários do Quinto – embora guardem dinheiro – não parecem estar pensando tão longe. Apenas 27% disseram que passaram a poupar dinheiro após a aprovação da Reforma da Previdência.

Sem sustos na fatura

pessoa entregando cartão de crédito para vendedor que segura máquina de cartões

 

Os usuários do Quinto mostraram que já estão atentos a algumas das maiores armadilhas na hora das compras. Quando questionados “Você compra por impulso?”, 52% responderam que não. E olha que burlar as comprinhas desnecessárias não é uma tarefa simples, uma vez que existem até estudos científicos apontando que comprar provoca uma sensação de bem-estar imediata. O problema é que a sensação costuma ser passageira e no final ficam as contas, por isso é preciso exercitar o autocontrole.

Outra “pegadinha” está no uso do cartão de crédito, que requer alguns cuidados. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), a maior parte das dívidas dos brasileiros (77,6%) é justamente no cartão de crédito. Uma das questões que pode passar despercebida são os juros nas compras parceladas. No entanto, 71% dos usuários do Quinto disseram que verificam se há juros nas compras parceladas no cartão.

Parcelar as compras em si já é uma questão polêmica. Entre os usuários do app, 69% disseram não a pergunta “Você prefere parcelar as compras a pagar à vista?”. Para educadores financeiros, de fato, pagar à vista costuma ser mais vantajoso na maioria das situações e deve ser a escolha sempre que a pessoa possuir o dinheiro para realizar o pagamento integral. A prática auxilia a evitar juros e acumular pagamentos que pesem o orçamento ao longo dos meses seguintes. O parcelamento também pode acabar sendo uma armadilha, já que algumas pessoas se concentram apenas em verificar se a parcela cabe no orçamento mensal e não no impacto a longo prazo do gasto.

Dinheiro é papel

Apesar dos comportamento responsáveis, os usuários do Quinto mostraram que também têm suas fraquezas. Quando o assunto é viagens, por exemplo, 58% admitiram que gastam mais dinheiro do que o planejado. As comprinhas de casacos e blusas, que costumam ser mais baratas no calor, são deixadas pelos usuários do app para a época do inverno. Pelo menos é o responderam 52% dos usuários, que optam por esperar a temperatura cair – e muitas vezes o preço subir – para adquirir os itens. Outro assunto polêmico, que leva os nossos usuários a meter a mão no bolso é ajudar familiares a amigos com problemas financeiros. Apesar de ser uma prática não recomendada por alguns educadores financeiros, 75% disseram que já emprestaram ou emprestariam dinheiro para familiares e amigos.

Com gastar e como poupar

O Banco Central do Brasil elaborou o “Caderno de Educação Financeira – Gestão de Finanças Pessoais” com várias dicas para quem precisa organizar melhor os gatos. E o primeiro passo do guia é discutir a sua relação com o dinheiro. Isso mesmo, a famosa DR! A proposta é uma reflexão sobre seus sonhos e como utilizar seus recursos para transformá-los em realidade. Ou seja, o melhor do dinheiro não é o seu acúmulo por si só, mas onde ele pode nos levar. Então, que tal dizer ao seu dinheiro quem manda em quem?

Opinião para dar e vender

Os debates continuam no Quinto e essas e muitas outras perguntas podem ser conferidas no aplicativo. Se você ainda não baixou o app, aproveita porque o download é de graça, mas fazer parte da formação da opinião coletiva não tem preço.

 Leia mais – Um brinde ao bom senso: usuários do Quinto apoiam consumo consciente do álcool

Vote no Quinto

Mulher olha carteira vazia chocada, ela está rodeada de sacolas de compras