Eles são os responsáveis por grande parte do tráfego da internet e, claro, por espalhar as notícias falsas.

O termo “fakenews” se popularizou há alguns anos e gera preocupação de toda a sociedade. Não é à toa que 92% dos usuários do Quinto acham que grupos de WhatsApp contribuem para a propagação de notícias falsas. Sabemos que brasileiro é extremamente sociável e gosta de compartilhar sua rotina e todo tipo de informação. Somos a sexta nação mais conectada nas redes sociais – e também uma das que mais passa tempo conectado, ficando, em média, 3h39 minutos online por dia nas redes sociais. Para que este hábito seja saudável, deve ser feita uma checagem desses conteúdos compartilhados, evitando que as falsas informações cheguem até a população online, já que uma vez compartilhadas, são facilmente disseminadas.

Assim como as notícias, os últimos anos trouxeram um grande aumento dos usuários falsos. Estudiosos avaliam que é difícil saber quantos perfis ou sites falsos existem, mas não podemos ignorar esse crescimento. Afinal, se esconder em outra identidade normalmente traz pessoas mal intencionadas, a fim de utilizar desses perfis para roubos de dados pessoais, crime de falsa identidade ou, até mesmo, a disseminação de notícias falsas.

O Facebook chegou a eliminar, entre 2017 e 2018, mais de 2,7 bilhões de usuários falsos. Já o Instagram – rede social também de Mark Zuckerberg, dono do Facebook – fez uma limpa em sua rede e usuários chegaram a perder milhões de seguidores. É o caso das cantoras Selena Gomez e Ariana Grande, que viram sua comunidade reduzir em 2 e 3 milhões de usuários, respectivamente. Nem mesmo a conta oficial do Instagram ficou de fora: teve 19 milhões de perfis falsos foram eliminados, o equivalente a 29% do total de seguidores. O mesmo fenômeno acontece regularmente com contas de Twitter.

Algumas medidas precisam ser tomadas para controlar esses usuários falsos ou, quem sabe, até mesmo fazê-los deixar de existir. Isso ajudaria muito no controle das notícias falsas e comentários sem embasamento, com pessoas não levando a sério o que expõem na internet. Contudo, 88% dos usuários do Quinto dizem que checam as notícias antes de compartilhar.

O controle de usuários falsos é o motivo pelo qual o CPF é necessário para entrar no aplicativo Quinto, reforçando um ambiente feito por pessoas reais, comprometidas em expor sua opinião por uma sociedade melhor. O uso do CPF como cadastro auxilia na diminuição de perfis falsos, combatendo o spam no debate e, o mais importante, garante que as votações sejam verdadeiras, fazendo nosso resultado mais fiel.

Afinal, apenas nós podemos fazer esse papel de buscar as transformações sociais que sonhamos.

No Quinto você vota também:

  • Você denuncia fake news?
  • Você checa notícias antes de repassar no WhatsApp?
  • Você acredita na credibilidade dos telejornais?
  • Você acredita no fim da TV aberta?
  • Você acredita que seus dados estão seguros no Facebook?

Leia mais sobre o Quinto