73% dos usuários que votaram no Quinto acreditam que estão sendo vigiados por seus celulares sem autorização.


Você sabia que o brasileiro passa, em média, 9 horas do dia navegando na internet? E parte dessas horas é ali, cutucando, dando like, comentando e compartilhando nas redes sociais. Segundo o IBGE, 65% da população brasileira está conectada à internet, 95% pelo celular. Nós encontramos soluções na palma da nossa mão e deixamos toda a nossa jornada ali registrada por meio dados em aplicativos e plataformas de navegação. E se o povo está na internet, as empresas e negócios também precisam estar. Hoje, as informações de usuários são o produto mais valioso para o mercado publicitário, por exemplo.

Quem nunca pesquisou ou até falou de um produto em voz alta perto do celular e teve que aguentar um tsunami de ofertas do mesmo produto pelo feed da sua rede social? A maioria massiva dos usuários que votaram no Quinto (91%) disseram que sabem que as redes sociais pesquisam seus dados para oferecer anúncios. E isso é possível sim! Juntamente com outras redes sociais de grande audiência como Instagram e Youtube, o Facebook possui um sistema altamente inteligente de coleta de dados de toda a jornada do usuário, dentro e fora da plataforma. Mecanismo que permite o cruzamento de diversas informações chegando a perfis muito específicos de usuários.

Com isso, surge também a insegurança do compartilhamento de dados sigilosos. Perguntamos no Quinto e 82% dos usuários que votaram disseram que não confiam que as suas informações sigilosas estão 100% seguras. Um escândalo recente comprova que isso é possível. Mais de 80 milhões de usuários do Facebook tiveram seus dados coletados pela empresa de marketing político, Cambridge Analytics. Informações que teriam sido usadas na campanha do atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Para tentar barrar escândalos como esse, a Europa implantou uma política regulatória de proteção de dados, com o objetivo de melhorar a privacidade dos usuários de internet. O “General Data Protection Regulation” (GDPR) muda as obrigações das empresas que trabalham com dados de pessoas que vivem dentro da União Europeia. Preocupação que os brasileiros também possuem. No Quinto, 81% dos que votaram acreditam que o Brasil precisa de uma política de segurança da informação como o GDPR. Por aqui, foi aprovada no Congresso a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP), que entrou em vigor em agosto de 2018, mas ainda está em fase de regulamentação.

Veja também: 5 desafios do amor na era digital


76% dos usuários que votam no Quinto disseram se sentir refém da tecnologia. Você também? Vote em outras perguntas deste tema:

  • Você tem medo da inteligência artificial?
  • Você é refém do celular?
  • Você já acessou a deep web?
  • Você se considera um usuário avançado de tecnologia?
  • Você tem medo do avanço da tecnologia?

Leia mais notícias sobre o Quinto